Índice geral >> Medicina e terapias antroposóficas >> Repositório de artigos científicos

13. REPOSITÓRIO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS
SOBRE MEDICINAS COMPLEMENTARES

Última inserção de artigo: 19/7/11; última atualização de texto: 24/9/12

Introdução

Este repositório contém vínculos para artigos científicos em geral sobre medicinas complementares. É importante salientar que muitos desses artigos não dizem respeito exatamente à medicina antroposófica; eles foram colocados aqui por apresentarem resultados que podem ser de interesse para a medicina e para as terapias antroposóficas. Os artigos que dizem respeito exatamente à medicina antroposófica estão precedidos de (MA). Há uma indicação das novas inserções de artigos feitas no último mês antes da última inserção; para localizá-los, use o comando de busca de seu navegador, dando como parâmetro de busca "(novo" (sem as aspas). Número total de itens até o momento: 52; número de artigos: 41.

O responsável por este repositório é Rodolfo Schleier, que seleciona os artigos a serem incluídos, classifica-os para o índice abaixo, bem como redige as linhas resumindo o conteúdo de cada trabalho; suas observações pessoais estão precedidas por "Nota:". Somente estão armazenados localmente os artigos que não estão disponíveis na integra na Internet. Caso algum artigo não esteja disponível em vínculo externo indicado, por favor entre em contato com o responsável pelo repositório. Solicitamos dos leitores o envio, etamente para ele, de artigos que cabem neste repositório, bem como sugestões de melhoria desta página. Serão aceitas referências de artigos e de resumos em português, inglês, alemão, francês, espanhol e italiano. Se algum vínculo não estiver f uncionando, por favor, avise o webmaster.

Índice de artigos (ordenados por assunto e autor)

  • Acupuntura [acupuncture]

Goldman, N. et al. Adenosine A1 receptors mediate local anti-nociceptive effects of acupuncture. Nature Neuroscience, May 30, 2010.
Este artigo mostra um modelo bioquímico que explica o mecanismo da ação analgésica da acupuntura. A inserção de agulhas de acupuntura em camundongos provocou a liberação de adenosina, uma substância com propriedades analgésicas. A injeção de outra substância que simula a atividade da adenosina, bem como a inibição de enzimas que a degradam, potencializou o efeito da acupuntura. Colaborou: Marcelo Guerra (médico).

Vent, J., D.W. Wang e M. Damm. Effects of traditional Chinese acupuncture in post-viral olfactory dysfunction. Otolaryngology - Head and Neck Surgery, Vol. 142, No. 4, pp. 505-509, April 2010.
Quinze pacientes com disfunção olfatória pós-viral (PVOD) passaram por 10 sessões semanais (de 30 minutos de duração) de acupuntura tradicional chinesa. Houve melhora significativa da função olfativa em relação ao grupo controle, tratado com vitaminas do complexo B. Colaborou: Marcelo Guerra (médico).

  • Alzheimer

Gu, Y. et al. Food Combination and Alzheimer Disease Risk: A Protective Diet. Archives of Neurology, Vol. 67, No. 6, Apr. 2010.
Estudo prospectivo de coorte, com o objetivo de avaliar a associação entre combinações de alimentos e o risco de desenvolver doença de Alzheimer. Cerca de 2.000 pacientes (com idade maior ou igual a 65 anos) em Nova York forneceram informações sobre sua dieta, e foram avaliados seus parâmetros neuropsicológicos a cada 18 meses. A proteção contra Alzheimer foi associada à alta ingestão de peixe, frango, castanhas, tomates, vegetais crucíferos (couve, repolho etc.), frutas, vegetais de folhas verdes e escuras; e baixo consumo de laticínios gordurosos e carne vermelha. Veja notícia a respeito no jornal O Estado de São Paulo de 13/4/10. Colaborou: Marcelo Guerra (médico).

  • Câncer [cancer]

Evans, M. et al. Decisions to use complementary and alternative medicine (CAM) by male cancer patients: information-seeking roles and types of evidence used. BMC Complementary and Alternative Medicine, Vol. 7, No. 25, 2007.
O trabalho, envolvendo pacientes de câncer (sexo masculino) que deciam pelas terapias complementares, ressalta a importância do diálogo entre os médicos de diferentes linhas terapêuticas. A comunicação franca pode ajudar a criar um ambiente de confiança mútua, ao contrário de dissimulação, que pode trazer riscos ao paciente.

Frenkel, M. et al. Cytotoxic effects of ultra-diluted remedies on breast cancer cells. International Journal of Oncology, Vol. 36, No. 2, pp. 395-403, Feb. 2010.
Estudo in vitro que investigou o efeito de medicamentos homeopáticos comumente prescritos em uma clínica homeopática indiana (Carcinosin, Phytolacca, Conium e Thuya), sobre 2 linhagens de células de câncer de mama. Esses medicamentos demonstraram atividade biológica, mesmo ultradiluídos, causando declínio e apoptose das células, além de alteração na expressão de proteínas reguladoras do ciclo celular. Colaborou: Samir Rahme (médico).

(MA) Gardin, N.E. Immunological response to mistletoe (Viscum album L.) in cancer patients: a four-case series. Phytotherapy Research, Vol. 23, No.3, pp. 407-411, Nov. 2008.
Investigação do efeito de extratos de Viscum album sobre o sistema imune. Parâmetros avaliados: contagem de leucócitos, neutrófilos, linfócitos, imunoglobulinas, e testes de hipersensibilidade intradérmica. Os resultados sugerem que o Viscum album pode aumentar a resposta imune e humoral em pacientes de câncer. Colaborou: Nilo Gardin (médico).

(MA) Wode, K., T. Schneider, I. Lundberg e G.S. Kienle. Mistletoe treatment in cancer-related fatigue: a case report. Cases Journal, Vol.2, No. 29, 2009.
Este artigo relata um caso de uma paciente com câncer devido a fadiga, que foi tratada com um extrato de Viscum Album L. (viscum, erva de passarinho).

  • Cardiopatias [cardiopathies]

Ma, Y. et al. Effects of Walnut Consumption on Endothelial Function in Type 2 Diabetics: A Randomized, Controlled, Cross-Over Trial. Ver resumo desse artigo na seção Diabetes.

  • Depressão [depression]

Adler, U.C. et al. Homeopathic Individualized Q-potencies versus Fluoxetine for Moderate to Severe Depression: Double-blind, Randomized Non-inferiority Trial. Evidence Based Complementary and Alternative Medicine, Aug. 17, 2009.
O trabalho, realizado por pesquisadores da Faculdade de Medicina de Jundiaí e da UNIFESP, no estado de São Paulo, demonstrou que o uso de medicamentos homeopáticos individualizados, no atendimento de pacientes depressivos do SUS de Jundiaí, foi tão eficaz quanto fluoxetina. A pesquisa foi randomizada, duplo-cego e placebo-controlada. Foram avaliados 48 medicamentos diferentes. Colaborou: Amarilys Toledo Cesar (farmacêutica).

  • Diabetes

    Crawford, P. Effectiveness of Cinnamon for Lowering Hemoglobin A1C in Patients with Type 2 Diabetes: A Randomized, Controlled Trial. Ver resumo desse artigo na seção Fitoterapia.

    Ma, Y. et al. Effects of Walnut Consumption on Endothelial Function in Type 2 Diabetics: A Randomized, Controlled, Cross-Over Trial. Diabetes Care, Vol. 33, No. 12 (Dec. 2010).
    Efeito do consumo de nozes sobre a função endotelial no diabetes tipo 2 com ensaio randomizado, controlado e cruzado. Pesquisadores do Centro de Pesquisa em Prevenção, da Escola de Medicina da Universidade de Yale (EUA), estudaram o efeito do consumo diário de nozes em pacientes de diabetes tipo 2. O estudo teve como objetivo determinar o efeito protetor das nozes sobre a circulação sanguínea. 24 pacientes de diabetes tipo 2 (média 58 anos, 14 homens e 10 mulheres) foram selecionados para fazer parte da pesquisa. Os participantes foram distribuídos aleatoriamente em dois grupos: enquanto um grupo manteve sua alimentação normal durante 8 semanas, o outro grupo recebeu uma porção diária de 56 g (366 kcal) de nozes. Os pacientes passaram por exames para avaliar a saúde dos vasos sanguíneos, no início e no final dos 8 meses. (Nota: “Endotélio” é a camada celular interna dos vasos sanguíneos; a superfície que entra em contato eto com o sangue; função endotelial é justamente o estado de saúde dessas células, que influi etamente sobre o fluxo de sangue. O contrário disso é a “disfunção endotelial”, que leva à aterosclerose, hipertensão, etc.). Os resultados dos exames mostram que a saúde dos vasos sanguíneos melhorou de forma significativa, no grupo que consumiu nozes, em comparação com o grupo-controle. A função endotelial pode ser expressa em número: foi de 2,2 no grupo que comeu nozes, e 1,2 no outro. Portanto, segundo o estudo, o consumo diário de nozes pode reduzir o risco de problemas cardíacos em pacientes com diabetes tipo 2.

  • Doenças crônicas [chronic deseases]

(MA) Baars, E.W. e E.L. Ellis. The effect of Hepar Magnesium D10 on fibromyalgia syndrome: A pilot study. European Journal of Integrative Medicine , Vol. 2 , pp. 15–21, 2010.
Objetivo: avaliar o efeito do Hepar Magnesium D10 intravenoso sobre os sintomas da fibromialgia. Houve indicações claras de que o medicamento teve efeito positivo após cinco a dez semanas de tratamento.

(MA) Hamre, H. J. et al. Use and Safety of Anthroposophic Medications in Chronic Disease: A 2-Year Prospective Analysis. Drug Safety, Vol. 29, No. 12, pp. 1173-1189, 2006.
Objetivo: determinar a frequência das reações adversas a medicamentos, tanto reportadas pelos pacientes como pelos médicos, em tratamento de doenças crônicas por um período de 2 anos. Os medicamentos antroposóficos mais prescritos foram: Viscum album, Bryophyllum, Arnica e Silicea. Conclusão: a terapia medicamentosa antroposófica foi geralmente bem tolerada, apresentando baixos índices de reações adversas.

(MA) Hamre, H.J., C.M. Witt, A. Glockmann, R. Ziegler, S.N. Willich e H. Kiene. Health costs in anthroposophic therapy users: a two-year prospective cohort study. BMC Health Services Research, Vol. 6, No. 65, Jun. 2006 (pp. não informadas).
Em pacientes que iniciaram terapias antroposóficas para doenças crônicas, o custo total com saúde não aumentou no primeiro ano, e foi reduzido no segundo. Esta redução foi explicada principalmente por um decréscimo da hospitalização de pacientes. Dentro dos limites do estudo, os resultados sugerem que as terapias antroposóficas não estão associadas a um aumento relevante nos custos com saúde.

(MA) Hamre, H.J., C.M. Witt, A. Glockmann, R. Ziegler, S.N. Willich e H. Kiene. Anthroposophic medical therapy in chronic disease: a 4-year prospective cohort study. BMC Complementary and Alternative Medicine, Vol. 7, No. 10, 2007 (pp. não informadas).
Continuação do estudo prospectivo de Hamre et al. (2006) publicado na Drug Safety, que foi prolongado por mais dois anos. Os pacientes tratados com medicina antroposófica apresentaram regressão significativa dos sintomas e aumento da qualidade de vida.

  • Dor [pain]

Goldman, N. et al. Adenosine A1 receptors mediate local anti-nociceptive effects of acupuncture. Ver resumo desse artigo na seção Acupuntura.

Vale, N.B. Analgesia Adjuvante e Alternativa. Revista Brasileira de Anestesiologia, Vol. 56, No. 5, pp. 530-555, 2006.
O artigo traz uma lista de 14 métodos não-farmacológicos para controle da dor. Esses mecanismos atuam através da via espinal de controle e/ou transdução no sinal nervoso, e podem potencializar o tratamento convencional ou até mesmo reduzir o abuso de analgésicos.

  • Efetividade da diluição homeopática [effectiveness of homeopatic dilutions]

(NOVO – 8/7/11) Carneiro, S.M.T.P.G. et al. Efeito de medicamentos homeopáticos, isoterápicos e substâncias em altas diluições em plantas: revisão bibliográfica. Revista de Homeopatia, Vol. 74, No. 1/2, pp. 9-32, 2011
.A revisão bibliográfica apresenta os resultados obtidos em 70 trabalhos, enfocando o efeito substâncias dinamizadas sobre plantas. Em cerca de 73% dos trabalhos, os autores relataram diferença estatisticamente significativa entre pelo menos um dos tratamentos-teste e o controle. Os trabalhos analisados podem ser divididos nos seguintes grupos: efeito sobre germinação e crescimento, sobre plantas sadias, sobre plantas submetidas a estresse, sobre microrganismos e sobre plantas doentes.
Colaborou: Marcus Zulian Teixeira (médico).

Forsyth, S.W. The effect of Viscum album 2CH, 200CH and 1M on the growth rate of germinating Zea mays seeds. Master Thesis (dissertação de mestrado). Johannesburg: Faculty of Health Sciences, Technikon Witwatersrand, 2004, 162 pp.
O efeito fisiológico dos medicamentos dinamizados (homeopáticos ou antroposóficos) é frequentemente atribuído ao “efeito placebo” – a “crença” do paciente de que o medicamento vai funcionar. Por isso, um grande número de pesquisas vêm sendo realizadas no sentido de explicar em detalhes o modo de ação esses medicamentos. Uma dessas linhas de pesquisa é a homeopatização de plantas (técnica já empregada na agricultura biodinâmica, desenvolvida por Eugen e Lili Kolisko a partir de indicações de Steiner). Nesta dissertação de mestrado, foi empregado o medicamento Viscum album em várias diluições, em sementes de milho (Zea mays). O estudo mostra que a taxa de germinação das sementes varia conforme a dinamização usada (2CH; 200 CH e 1M), mesmo nas altas dinamizações onde teoricamente não existe mais nenhuma molécula da substância original. (Nota: o autor refere-se a uma diluição maior do que 1:(6x1023), que usa o número de Avogadro – o número de moléculas existentes em um mol, ou molécula-grama, isto é, a massa molecular expressa em gramas; por exemplo, uma diluição D30 já não deveria conter nenhuma molécula da substância diluída.) Segundo o autor, isso obviamente não poderia ser explicado somente pelo “efeito placebo” constituindo, portanto, uma forte evidência científica em favor da teoria de Hahnemann de que o medicamento impregna o solvente com sua força vital. (Nota: do ponto de vista antroposófico, essa força não é física.)

(NOVO – 19/7/11) Montagnier, L. et al. DNA waves and water. ArXiv, 1012.5166v1 [q-bio.OT], 23 Dec 2010.
Este trabalho de Luc Montagnier (ganhador do Prêmio Nobel de Medicina em 2008, por ajudar a demonstrar a conexão entre o HIV e a AIDS) mostra que algumas sequências de DNA de bactérias e vírus podem induzir ondas de baixa frequência em altas diluições em água. Ondas eletromagnéticas de 500 a 3000 Hz foram detectadas em certas diluições de culturas de microrganismos (vírus, bactérias) ou no plasma de pacientes infectados com estes agentes. Tais sinais eletromagnéticos não estão linearmente correlacionados com o número inicial de células antes da filtração, portanto, é uma análise qualitativa e não quantitativa. As ondas foram verificadas apenas em altas diluições (acima de 10-9, ou seja, 1 parte em 1 bilhão). Os mesmos resultados foram obtidos com fragmentos curtos de DNA desses microrganismos – em alguns casos, sequências com cerca de 104 pares de bases nitrogenadas já foram suficientes para originar um sinal detectável. E mais ainda: num experimento posterior, os tubos com a solução altamente diluída foram colocados ao lado de tubos contendo água pura, separados apenas por uma fina camada de metal permeável a campos magnéticos, por 16 a 18 horas. A água deste segundo tubo, filtrada e novamente diluída, também foi capaz de emitir sinais eletromagnéticos de baixa frequência. Ao adicionar a esta água os componentes necessários à síntese de DNA (nucleotídeos, primers, polimerase), foram obtidas sequências de DNA 98% idênticas à original. Segundo os autores, os resultados podem ser reproduzidos diversas vezes, com diferentes bactérias, e com os mesmos resultados. Os autores esclarecem que o experimento encontra respaldo científico na Teoria Quântica dos Campos. Estudos semelhantes já foram realizados no passado (como Jacques Benveniste em 1988, que afirmou que a água possui “memória”), mas foram duramente rebatidos pela comunidade científica. Veja um resumo do trabalho em português. Colaborou: Marcelo Guerra (médico).

  • Estresse [stress]

Fogaça, M.C. Salivary cortisol as an indicator of adrenocortical function in healthy infants, using massage therapy. Ver resumo desse artigo na seção Massagem.

(MA) Rother, C, e J. Oexle. Uso de Stressdoron em pacientes com esgotamento nervoso decorrente do estresse. Trad. R. Schleier. Revista Arte Médica Ampliada, Vol. 30, No. 3, pp. 26-33. Original: Rother, C., J. Oexle. Einsatz von Neurodoron® bei Patienten mit nervöser Erschöpfung aufgrund von Stress. Der Merkurstab, v.63, n.2, p.171-7, 2010.
(Nota: No artigo original foi empregado o nome Neurodoron, sob o qual esse medicamento é registrado na Alemanha; Stressdoron é o nome do medicamento equivalente produzido pela Weleda do Brasil.) Resumo: O modo de vida atual é caracterizado pela falta de tempo, pelas exigências crescentes na vida pessoal e profissional, e por isso se torna cada vez mais inquieto. As fases de tensão e repouso não estão em equilíbrio. As reações do corpo humano a esta situação variam desde sintomas psíquicos aos físicos. A persistência da tensão leva a estados recorrentes de exaustão e finalmente à síndrome de burnout, isto é, a exaustão completa. Stressdoron, contendo Aurum metallicum, Kalium phosphoricum, Ferrum sulfuratum e Silicea, trata a exaustão e auxilia a harmonizar corpo e mente. Métodos: Um estudo foi projetado para prover conhecimento detalhado sobre o uso de Stressdoron em pacientes sofrendo de exaustão nervosa e burnout devido ao estresse. Resultados: Entre dezembro de 2008 e agosto de 2009, 43 médicos recrutaram 300 pacientes que sofriam de exaustão nervosa (em condição persistente por 2 anos ou mais), aos quais foi administrado Stressdoron por 46 dias em média. 117 destes pacientes também foram diagnosticados com síndrome de burnout. Todos os 39 sintomas reportados, tais como irritabilidade, enxaqueca e distúrbios do sono, foram significativamente reduzidos, em 58,4 % do total de pacientes. A medida de tédio caiu de 4,5 para 3,2. A tolerância foi boa, e cerca de 80% dos pacientes e médicos avaliaram a eficácia de boa a muito boa. Conclusão: Os resultados positivos dão suporte ao uso de Stressdoron nas condições ligadas ao estresse.

Seo, J.Y. The Effects of Aromatherapy on Stress and Stress Responses in Adolescents. Journal of Korean Academy of Nursing. Vol. 39, No. 3, pp. 357-365, Jun. 2009.
Estudo sobre efeitos da aromaterapia no estresse de adolescentes, através de parâmetros bioquímicos. Os níveis de estresse foram significativamente mais baixos no grupo que inalou óleo essencial, comparado ao placebo (inalação de óleo carreador inerte). Concluindo, a aromaterapia pode ser um método muito eficaz no controle do estresse em estudantes. (Artigo em coreano – resumo em inglês.)

  • Ética médica [medical ethics]

    Baird, P. Getting it right: industry sponsorship and medical research. Canadian Medical Association Journal, Vol. 168, No. 10, May 2003.
    O artigo discorre sobre a influência da indústria farmacêutica na condução e documentação de ensaios clínicos. Segundo a autora, é necessário concentrar esforços em pesquisas que levem a mudanças efetivas no comportamento das pessoas, em vez de investir no tratamento de doenças evitáveis com medidas simples. Por exemplo, promover a alimentação saudável e o exercício físico para prevenir a obesidade.

    Choudhry, N. Relationships Between Authors of Clinical Practice Guidelines and the Pharmaceutical Industry. JAMA, Vol. 287, No. 5, pp. 612-617. Feb. 2002.
    O estudo teve como objetivo quantificar a extensão e natureza das interações entre autores de Guias de Prática Clínica e a indústria farmacêutica. Essas interações são relevantes já que esses Guias publicados em revistas médicas influenciam um grande número de médicos. Foi constatado um número considerável de interações em meio a 192 autores de 44 Guias endossados por Sociedades Médicas da Europa e EUA, o que evidencia a necessidade de investigar e discutir mais a fundo os eventuais conflitos de interesse.

    Cohen, D. e P. Carter. WHO and the pandemic flu “conspiracies”. British Medical Journal, No. 340, c3257, Jun 2010.|
    Artigo de divulgação. Segundo os autores, alguns cientistas que prestaram consultoria à OMS foram pagos pela indústria farmacêutica para influenciar no planejamento das medidas de combate à gripe H1N1. Em resposta, a Organização Mundial de Saúde (WHO) disse tratar-se apenas de conspiração.

    Lexchin, J. et al. Pharmaceutical industry sponsorship and research outcome and quality: systematic review. British Medical Journal, Vol. 326, May 2003.
    Revisão sistemática de literatura visando identificar possíveis vínculos entre os resultados de pesquisas médicas e o financiamento pela indústria farmacêutica. A análise estatística de 30 estudos realizados no período de 1966 a 2002 mostra que estudos financiados tendem a ressaltar aspectos positivos e ocultar resultados negativos.

  • Fitoterapia [phytotherapy]

Crawford, P. Effectiveness of Cinnamon for Lowering Hemoglobin A1C in Patients with Type 2 Diabetes: A Randomized, Controlled Trial. The Journal of the American Board of Family Medicine, Vol. 22, No. 5, pp. 507-512, 2009.
Vários ensaios realizados no passado têm mostrado resultados conflitantes sobre a capacidade de um tipo de canela, Cinnamomum cassia, reduzir os índices de glicose, ou hemoglobina glicosilada (HbA1C, hemoglobina ligada à glicose). Este ensaio randomizado, controlado, envolvendo 109 pacientes de diabete tipo 2 com HbA1C >7.0, mostra que o emprego de cápsulas contendo pó de Cinnamomum cassia reduziu os índices de hemoglobina glicosilada, evidenciando o efeito antidiabético dessa planta. (Nota: antes de utilizar canela para fins medicinais, é prudente assegurar-se da sua origem e qualidade. A canela do mercado alimentício é frequentemente adulterada por outras espécies de aroma semelhante, bem como sofre contaminação por fungos.)

(NOVO – 18/7/11) Paolinelli, S.T. et al. Curcuma longa ingestion protects in vitro hepatocyte membrane peroxidation. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas, Vol. 42, No. 3, jul./set. 2006. A cúrcuma (Curcuma longa L.) é uma especiaria originária do sudeste asiático e aclimatada no Brasil, onde é conhecida como açafrão-da-terra e amplamente utilizada na culinária regional. É uma planta utilizada também na fitoterapia e na medicina antroposófica (junto com Chelidonium majus constitui um dos principais medicamentos desta linha terapêutica para o fígado). Este estudo de pesquisadores brasileiros avaliou o efeito protetor da cúrcuma contra a oxidação celular causada por um medicamento, o paracetamol, em ratos. Os animais que receberam suplementação de pó de cúrcuma na dieta apresentaram maior grau de proteção das células hepáticas do que o grupo não tratado, comprovando o efeito antioxidante desta especiaria. Nota: antes de utilizar cúrcuma para fins medicinais, é prudente assegurar-se da sua origem e qualidade. A cúrcuma do mercado é frequentemente adulterada (por outras espécies, corantes sintéticos, amido, etc.) bem como sofre contaminação por fungos. Procure uma loja ou farmácia de confiança.

(NOVO – 18/7/11) Wani, B.A. et al. Saffron: A repository of medicinal properties. Journal of Medicinal Plants Research, Vol. 5, No. 11, pp. 2131-2135, Jun 2011.
Açafrão (estigmas de Crocus sativus L.) é uma especiaria tradicional nas cozinhas mediterrânea e indiana. Como é comum entre as especiarias, além do uso alimentício, ela também é usada tradicionalmente para fins medicinais, as quais vêm sendo confirmadas pela pesquisa farmacológica moderna. O presente artigo de pesquisadores indianos traz uma revisão da literatura das principais indicações terapêuticas já estudadas até agora, tais como, entre outras: depressão; distúrbios do aprendizado e memória; distúrbios do fluxo sanguíneo ocular; degeneração macular relacionada à idade; doenças arteriais coronarianas; hipertensão arterial; inflamações agudas e crônicas; gastrite; efeito antioxidante e protetor do DNA. Nota: não confundir com açafrão-da-terra ou cúrcuma, outra especiaria largamente utilizada para fins medicinais. Colaborou Angelmar Roman (médico). Ver também um artigo sobre cúrcuma.

  • Gestação [pregnancy]

Davim, R.M.R., G.V. Torres e E.S. Melo. Non-pharmacological strategies on pain relief during labor: pre-testing of an instrument. Revista Latino-Americana de Enfermagem, Vol.15, No. 6, pp. 1150-1156, Nov-Dec. 2007.
Trata-se de estudo descritivo para avaliar a efetividade de estratégias não-farmacológicas no alívio da dor de parturientes, tais como exercícios de respiração, relaxamento muscular, massagem lombossacral e banho de chuveiro. As estratégias foram bem aceitas pelas pacientes, e demonstraram ser efetivas na redução da dor.

Reberté, L.M. e L.A.K. Hoga. O desenvolvimento de um grupo de gestantes com a utilização da abordagem corporal. Texto Contexto Enfermagem, Vol. 14, No. 12, abr-jun 2005, pp. 186-92. O artigo identifica os desconfortos físicos e emocionais mais comuns em gestantes: Dor, insônia, fadiga, dificuldade de respiração, tensão muscular. O trabalho aborda as posições de parto, o papel do acompanhante e a massagem do recém-nascido, além de descrever orientações e técnicas que podem aliviar esses desconfortos.

  • Massagem [massage]

Fogaça, M.C. Salivary cortisol as an indicator of adrenocortical function in healthy infants, using massage therapy. São Paulo Medical Journal, Vol. 123, No. 5, pp. 2215-2218, 2005.
A proposta do estudo foi avaliar os níveis de cortisol (indicador de estresse) na saliva, antes e depois de aplicação de massagem Shantala em crianças. Houve modificação dos níveis de cortisol salivar após a massagem, indicando redução do estresse, o que aponta para um efeito benéfico da massagem por meio de adaptação do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal.

  • Meditação [meditation]

Majumdar, M., P. Grossman, B. Dietz-Waschkowski, S. Kersig, H. Walach. Does Mindfulness Meditation contribute to health? Outcome evaluation of a German sample. The Journal of Alternative and Complementary Medicine, Vol. 8, No. 6, pp. 719–730, 2002.
Estudo sistemático realizado na Alemanha para avaliar os efeitos de um programa de 8 semanas de meditação com base na “Atenção plena” (prática terapêutica de consciência no momento presente). Foram mensurados parâmetros como o bem estar, senso de coerência e satisfação com a vida, de 21 pacientes que sofriam de problemas físicos, psíquicos ou psicossomáticos. As intervenções levaram a altos níveis de aderência à prática da meditação e satisfação com os benefícios do programa, bem como redução efetiva dos sintomas.

Grossman, P., L. Niemann, S. Schmidt e H. Walach. Mindfulness-based stress reduction and health benefits - A meta-analysis. Journal of Psychosomatic Research, Vol. 57, pp. 35–43, 2004.
A Redução de Estresse com Base na Atenção Plena (MBSR) é um procedimento não-religioso e não-esotérico que visa aumentar a percepção do momento presente. Os autores fazem uma revisão e meta-análise dos estudos realizados ao longo de vinte anos, publicados ou não, com ênfase nos efeitos sobre a saúde (dor, câncer, distúrbios cardíacos, depressão, ansiedade, estresse). Apesar do número relativamente pequeno de estudos, os resultados sugerem que a MBSR pode ajudar os pacientes a lidarem com seus problemas clínicos e não-clínicos.

  • Nutrição [nutrition]

Gu, Y. et al. Food Combination and Alzheimer Disease Risk: A Protective Diet. Ver resumo desse artigo na seção Diabetes.

Ma, Y. et al. Effects of Walnut Consumption on Endothelial Function in Type 2 Diabetics: A Randomized, Controlled, Cross-Over Trial.Ver resumo desse artigo na seção Diabetes.

(NOVO – 18/7/11) Paolinelli, S.T. et al. Curcuma longa ingestion protects in vitro hepatocyte membrane peroxidation. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas, Vol. 42, No. 3, jul./set. 2006. Ver resumo desse artigo na seção Fitoterapia.

(NOVO – 19/7/11) Wani, B.A. et al. Saffron: A repository of medicinal properties. Journal of Medicinal Plants Research, Vol. 5, No. 11, pp. 2131-2135, Jun 2011. Ver resumo desse artigo na seção Fitoterapia.

  • Tratatamento antroposófico [Anthroposophic treatment]

(MA) Hamre, H.J., C.M. Witt, A. Glockmann, R. Ziegler, S.N. Willich e H. Kiene. Health costs in anthroposophic therapy users: a two-year prospective cohort study. Ver resumo desse artigo na seção Doenças crônicas.

(MA) Hamre, H.J., C.M. Witt, A. Glockmann, R. Ziegler, S.N. Willich e H. Kiene. Anthroposophic medical therapy in chronic disease: a 4-year prospective cohort study. Ver resumo desse artigo na seção Doenças crônicas.

(MA) Kienle, G.S., H. Kiene e H.U. Albonico. Anthroposophische Medizin: Health technology assessment Bericht (Medicina Antroposófica: relatório técnico de avaliação de saúde – relatório completo); Kurzfassung (resumo). Forschende Komplementärmedizin, 13 (supl. 2), pp. 7-18, 2006.
Ensaios clínicos de vários tipos envolvendo diversas doenças relataram que o tratamento antroposófico trouxe bons resultados clínicos, poucos efeitos adversos, alta satisfação do paciente e ligeira redução de custos, quando comparado ao sistema convencional.

(MA) Rother, C. e J. Oexle. Uso de Stressdoron em pacientes com esgotamento nervoso decorrente do estresse. Ver resumo desse artigo na seção Estresse..

  • Tratamento homeopático [homeopathic treatment]

Banerjee, A. et al. Chelidonium majus 30C and 200C in induced hepato-toxicity in rats. Homeopathy, Vol. 99, No. 3, pp. 167-176, Jul. 2010.
O medicamento homeopático Chelidonium majus (Chel) é um dos mais utilizados para distúrbios digestivos. Ele demonstrou efeito protetor do fígado contra os danos causados pela administração de substâncias estranhas, mesmo nas dinamizações 30CH e 200CH. O efeito foi mensurado por meio de parâmetros bioquímicos de atividade hepática (exame laboratorial que avalia os níveis de enzimas hepáticas no sangue).

Bell, I.R. et al. Effects of homeopathic medicines on polysomnographic sleep of young adults with histories of coffee-related insomnia. Sleep Medicine. Article in press, available online 29 July 2010.
A polissonografia tem sido usada como um método moderno e objetivo para avaliar os efeitos de medicamentos homeopáticos sobre a qualidade do sono. Foram selecionados indivíduos jovens, adultos (18 a 31 anos), com perfil de ansiedade ou comportamento hostil, e com histórico de insônia induzida pelo abuso de café. Os exames de polissonografia foram realizados na casa dos indivíduos, em diferentes noites, ao longo de um mês. Os medicamentos homeopáticos Nux vomica ou Coffea cruda, na dinamização 30CH, causaram alterações significativas como aumento do tempo total de sono bem como da duração das suas diferentes fases.

Coelho, C.P. et al. Evaluation of preventive homeopathic treatment against Colibacillosis in swine production. Int J High Dilution Res, Vol. 8, No. 29, pp. 183-190, 2009.
Escherichia coli é o agente etiológico mais frequentemente associado à diarréia neonatal em suínos (doença de grande impacto na suinocultura). Esta pesquisa, conduzida em uma fazenda no Mato Grosso, mostrou que a homeopatia foi mais eficaz do que os antibióticos na prevenção de diarréia por E. coli. (Obs.: isso rebate o argumento comum de que a homeopatia funciona como “placebo”). O emprego exclusivo da homeopatia na pecuária leva a uma carne isenta de resíduos químicos e ainda evita a contaminação ambiental. Colaborou: Marcelo Guerra (médico).

Frenkel, M. et al. Cytotoxic effects of ultra-diluted remedies on breast cancer cells. Veja resumo desse artigo na seção Câncer.

Hofbauer, R. et al. Heparin-binding epidermal growth factor expression in KATO-III cells after Helicobacter pylori stimulation under the influence of strychnos Nux vomica and Calendula officinalis. Homeopathy, Vol. 99, No. 3, pp. 177-182, Jul. 2010.
A bactéria H. pylori (frequentemente associada aos casos de gastrite e úlcera gástrica) estimula a nível gênico a síntese de uma proteína ligada ao espessamento da mucosa gástrica, o fator de crescimento epidérmico (EGF). Os medicamentos homeopáticos Nux vomica e Calendula são muito usados para tratar essas doenças. O presente estudo constatou que esses dois medicamentos foram capazes de inibir a expressão gênica dessa proteína, mesmo em diluições elevadas, onde não há mais nenhuma molécula presente. Colaborou: Marcelo Guerra (médico).

Teixeira, M.Z. Brief Homeopathic Pathogenetic Experimentation: A Unique Educational Tool in Brazil. Evidence-based Complementary and Alternative Medicine (eCAM) Vol. 6, No. 3, pp. 407-414, 2009. Descreve as experiências realizadas na Faculdade de Medicina da USP, com o intuito inicial de oferecer uma atividade prática que possibilitasse vivenciar o efeito das ultradiluições homeopáticas na alteração do estado de saúde humano. Essa vivência prática tem despertado grande interesse nos estudantes, consolidando os ensinamentos teóricos ministrados na referida disciplina. Colaborou: Marcus Zulian Teixeira (médico).

Teixeira, M.Z. Homeopathy: a preventive approach to medicine? International Journal of High Dilutions Research, Vol. 8, No. 29, pp. 155-172, 2009. Veja a versão traduzida para o português.
Atualização/revisão dos fundamentos epistemológicos da homeopatia como abordagem médica preventiva, as evidências científicas de sua aplicação clínica e os requisitos mínimos para seu emprego em epidemias.

Teixeira, M.Z. Results of swallowing mass overdose of homeopathic medicines in United Kingdom: scepticism or prejudice? International Journal of High Dilution Research, Vol. 9, No. 30, pp. 3-4, março 2010.
Discorre sobre a experimentação em massa de medicamentos homeopáticos, em praça pública, por centenas de céticos no Reino Unido no início de 2010. Segundo o autor, apesar de eles terem realizado uma "experimentação patogenética homeopática em massa", o preconceito destes céticos impediu que eles observassem ou relatassem esse fenômeno, desperdiçando uma valiosa oportunidade de vivenciarem a influência que o medicamento homeopático pode despertar nas constituições humanas, abrindo suas mentes a novos paradigmas. Colaborou: Marcus Zulian Teixeira (médico).

Teixeira, M.Z. Homeopatia nas doenças epidêmicas: conceitos, evidências e propostas. Revista de Homeopatia, Vol. 73, No. 1-2, pp. 36-56, Jun. 2010. Tradução para o português de outro artigo do mesmo autor.
Perante as inúmeras mobilizações da homeopatia frente às recentes epidemias de dengue e gripe suína, o autor faz uma atualização/revisão sobre aplicação da homeopatia como medida preventiva ou terapêutica, assim como referencia, descreve e discute as iniciativas de médicos homeopatas nesse campo, levantando questionamentos e sugerindo o desenvolvimento de pesquisas na área.

Van Wassenhoven, M. e Liga Medicorum Homeopathica Internationalis (Eds.). Scientific Framework of Homeopathy – Evidence Based Homeopathy 2009. European Committee for Homeopathy e Liga Medicorum Homeopathica Internationalis, Nov. 2009.
O trabalho, publicado após o 64.º congresso da LMHI, apresenta aspectos importantes da pesquisa científica em homeopatia, incluindo questões éticas e nível de evidência científica. Ele dá um panorama geral do ensino e prática homeopáticas em diversos países. As conclusões são de que a homeopatia deve permanecer no framework da prática médica e é uma necessidade para a saúde pública.

Witt, C.M., R. Lüdtke, N. Mengler e S.N. Willich. How healthy are chronically ill patients after eight years of homeopathic treatment? – Results from a long term observational study. BMC Public Health, Vol. 8, Dec. 2008, p. 413.
O estudo avaliou as mudanças no estado de saúde durante 8 anos de tratamento homeopático. Observou-se aumento da qualidade de vida tanto física como mental.

   

------
Last anchor: A14