Terapia Artística

Imprimir

1. INTRODUÇÃO

A terapia artística fundamenta-se na visão médica, terapêutica e artística ampliada pela Antroposofia de Rudolf Steiner, segundo a qual o homem é um ser espiritual constituído de espírito, alma e corpo vivo, e no conhecimento teórico e prático dos elementos das artes e das leis que os regem.

Assim, por meio desses elementos, que nas artes plásticas são, por exemplo, cor, forma, volume, disposição espacial, etc., a terapia artística possibilita que a pessoa vivencie os arquétipos da criação, ou seja, se re-conecte com as leis que são inerentes à sua natureza interior mas que foram "esquecidas" por diferentes motivos. Com isso, traz um contato com a essência sanadora de cada um.

Na terapia artística aprende-se a observar, sentir, agir e pensar de modo mais consciente e diferente do que antes. No entusiasmo pela natureza, pelo belo, pelo ritmo e pela harmonia a pessoa sente-se novamente "inteira".

Ver també o site da AURORA – Associação Brasileira dos Terapeutas Artísticos Antroposóficos, onde há muitas informações.

 

2. HISTÓRICO MUNDIAL

A origem da terapia artística vem do trabalho conjunto que a Dra. Ita Wegmann (1876-1943) desenvolveu com Rudolf Steiner (1861-1925), no qual a pintura era às vezes, prescrita como parte do tratamento médico.

Em 1925 quando a médica Dra. Margarethe Hauschka (1896-1980) foi pela primeira vez ao Instituto Clínico-Terapêutico de Arlesheim, Suiça, para estudar Euritmia Curativa, encontrou-se com duas artistas alemãs, Sofia Bauer e Maria Kleiner, que praticavam a pintura com os pacientes. Nesse mesmo ano e até 1927, ela pode trabalhar com pintura e cerâmica com pacientes da clínica do Dr. Husemann, em Gunterstal, Alemanha, e nos dois anos seguintes, a pedido da Dra. Wegmann, foi para uma clínica filial da de Arlesheim, em Lugano (Suiça), com a incumbência de cuidar terapêutica e culturalmente de um número limitado de pacientes. Com essa experiência, teve a oportunidade de desenvolver o elemento artístico de várias maneiras.

De volta à Clínica de Arlesheim, em 1929, paralelamente ao seu trabalho médico, foi responsável pelo ensino de arte nos cursos anuais de enfermagem e medicina antroposóficas por doze anos consecutivos, até que a 2a. guerra colocou um fim temporário a essa atividade.

Em 1940 foi para a Áustria, onde durante 22 anos trabalhou e deu cursos no país e no exterior. Por meio dessa experiência, construiu as bases práticas e teóricas da terapia artística para, em 1962, fundar a primeira escola de terapia artística, em Bad Boll, na Alemanha. Mais tarde surgiram outras escolas que também deram contribuições próprias ao desenvolvimento dessa nova terapia.

 

3. HISTÓRICO NO BRASIL

No Brasil, a terapia Artística surgiu graças ao impulso dado por D. Ada Jens (1921-1994), primeiro por meio de sua prática na Clínica Tobias, S.Paulo, e depois pela criação do curso de Terapia Artística.

A D. Ada, que era enfermeira e fisioterapeuta, fez a formação em Terapia Artística no ano de 1969 em Bad Boll e teve como mestra a própria Dra. Margarethe Hauschka. De volta ao Brasil, ela foi responsável pela Terapia Artística na Clínica Tobias por vinte anos.

Em 1986, junto à SBMA (Sociedade Brasileira de Médicina Antroposófica) e com o apoio da ABT (Associação Beneficiente Tobias), a D. Ada iniciou, com entusiasmo constante, o primeiro curso de formação de terapeutas artísticos do Brasil, que teve como sede, até 1992, o Centro Paulus de Estudos Goetheanísticos, em Parelheiros, SP. A partir de 1993 e até 1996 esse ensino foi sendo feito em São Paulo. Atualmente, há duas escolas de Terapia Artística, a Terarte – Associação de Ensino de Terapia Artística em São Paulo e a Associação Sagres em Florianópolis.

Em 1996 foi fundada a AURORA - Associação Brasileira dos Terapeutas Artísticos Antroposóficos com o objetivo de contribuir para o aprofundamento e divulgação da terapia artística, respaldar o profissional da área, promover troca de experiências, cursos e palestras. bem como representar as atividades da terapia artística em todo o território nacional.

 

4. ALGUNS DADOS SOBRE O PROCESSO

A Terapia Artística possibilita uma transformação onde o paciente é o agente que segue e dá continuidade a um determinado processo que lhe traz harmonia. Dá forma onde há pouca estrutura, dissolve onde há rigidez, dá clareza onde tudo é vago e traz fantasia onde a mente está endurecida.

O paciente enfrenta limites, supera dificuldades, aprende a adaptar-se ao material que usa, aceita as falhas e tende a desenvolver autoconfiança e auto-estima.

A terapia artística tem metas claras. O resultado estético, porém, não é o objetivo; a importância está no processo.

A terapia artística pode ser aplicada a todos os casos de doença ou desarmonia, sendo que em cada situação será utilizado um meio específico adequado - pintura, modelagem, desenho. Além disso, os exercícios propostos devem ter significado próprio, dirigidos a uma determinada situação.

Qualquer atividade artística pode levar a um caminho de aprendizado e autodesenvolvimento. A terapia artística, porém, é muito diferente da prática artística pura, no que diz respeito à atitude interior, métodos e propósitos. O caminho terapêutico tem a intenção de transformar cada dificuldade em exercícios terapêuticos que possibilitem o processo de mudança.

 

5. OPINIÕES DE MÉDICOS SOBRE A TERAPIA ARTÍSTICA

Acione aqui para textos com opiniões de médicos, publicados em dezembro de 2001 no boletim Aurora.

 

6. ASSOCIAÇÃO

AURORA – Associação Brasileira dos Terapeutas Artísticos Antroposóficos

Rua da Fraternidade, 156
04738-020 São Paulo (Alto da Boa Vista)
Tel. (11) 7667 5789 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
http://aurora.abtaa.org.br/index.php?link=2&id=1

 

7. FORMAÇÕES

Terarte - Associação de Ensino de Terapia Artística
//%O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. %20/">O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.  – www.terarte-saopaulo.com

Associação Sagres
Rua da Macela 80, Rio Tavares, 88048-398 Florianópolis, SC, (48) 3238-0433 – //www.sab.org.br/med-terap/terap-art/O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ">O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.  –www.asssagres.org.br

 

 

8. INSTITUIÇÕES QUE ATENDEM COM TERAPIA ARTÍSTICA

SBMA – SOCIEDADE BRASILEIRA DE MEDICINA ANTROPOSÓFICA
R. Regina Badra 576, Alto da Boa vista, Santo Amaro, 04641-000 São Paulo - Tel/Fax (11) 5522-4744 –O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .br

ARANDARA – ARTE E TERAPIA
R. Dr. Virgilio de Carvalho Pinto 107, Pinheiros, 05415-030 São Paulo, SP - Tel. (11) 3064-0182
www.arandara.com.br

ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA MONTE AZUL
Av. Tomas de Souza 552, Jd. M. Azul, São Paulo, SP - Tel. (11) 5686-3552

ATHMA THERAPEUTICUM
R. Estado de Israel 296, Vila Mariana, São Paulo, SP - Tel. (11) 5573-7993

CASA 44
R. Ana Catharina Randhi 44, São Paulo, SP - Tel. (11) 240-1121LUME
R. Barão de Jaceguai 65, São Paulo, SP - Tel. (11) 543-7693

CENTRO TERAPÊUTICO PARACELSUS
Rua Conde de Porto Alegre, 1618, 04608-002 São Paulo - Tel. (11) 5041-1609

CLÍNICA TOBIAS
R. Regina Badra 576, Alto da Boa Vista, São Paulo, SP - Tel. (11) 5687-3799

OFICINA DE ARTES E HISTÓRIAS
R. Ariston Negrão 300, Granja Viana, 06345-200 Cotia, SP - Tel. (11) 895-0532, Fax 7287-0111

PHOENIX
R. São Benedito 1661, São Paulo, SP - Tel. (11) 5687-0368

SOFIA - ESPAÇO DE DESENVOLVIMENTO E CONVÍVIO SOCIAL
Rua Francisco Dias Velho 58, Brooklin, São Paulo, SP - Tel. (11) 5535-9403 ou -4392
www.sab.org.br/med-terap/sofia

TERAPEUTICUM RAPHAEL
R. Mal. Deodoro 225/103, Centro, 36013-000 Juiz de Fora, 36019-000 MG - Tel/FAX (032) 3215-4872

THERAPEUTICUM MICHAEL
R. Odilon Braga 506, 30310-390 Belo Horizonte, MG - Tel/Fax: (31) 3225 9826

 

9. INDICADOR PROFISSIONAL

Acione aqui para ver o indicador profissional, com currículos e vários detalhes.

 

10. CURSOS, PALESTRAS, ENCONTROS, CONGRESSOS

(Ver detalhes na página de eventos deste site.)

TÍTULO
DATAS
RESPONSÁVEL
LOCAL
O ciclo das mandalas – uma metamorfose em sete passos
Início 13/3/10; duração de 9 meses; grupo de no máximo 10 pessoas
Mary Porto
Espaço Arandara, R. Dr. Virgilio de Carvalho Pinto 107, Pinheiros, São Paulo, SP – ver detalhes

 

11. LITERATURA

Abrão, F.J. Caso clínico com terapia artística. Ampliação da Arte Médica. São Paulo: Associação Brasileira de Medicina Antroposófica, v. 10, n. 2, p. 69-74, jun. 1990.

Altmaier, M. O elemento artístico na terapia antroposófica. Trad. V. Kaliks. Ampliação da Arte Médica. São Paulo: Associação Brasileira de Medicina Antroposófica, v. 13, n. 1. p. 25-33, out. 1993.

Altmaier, M. O processo terapeuta artístico. Trad. ?. São Paulo: Ed. Antroposófica, 2010.

AURORA. Caderno I. São Paulo: Associação Brasileira de Terapeutas Artísticos Antroposóficos v. 8. 2002

De Lucca, G. Terapia artística na depressão. Trad. J.A. de Lucca e C. de Lucca. Arte Médica Ampliada. São Paulo: Sociedade Brasileira de Médicos Antroposóficos, v. 22, n. 3/4, p. 26-30, 2002.

D’Herbois, L.C. Cores. Trad. ?. Local? Ano? (Apostila).

D’Herbois, L.C. Luz, escuridão e cor na pintura terapêutica. Trad. V. Swift, 1996 (Apostila).

Golombeck, E. A terapia da arte plástica, v. 1. Trad. ?. Local?: 2005. Disponível em CD.

Hauschka, M. Terapia artística: Introdução aos fundamentos da pintura terapêutica, v. 2. Trad. U. Szajewski. 2 ed. São Paulo: Ed. Antroposófica, 2003

Hauschka, M. Terapia artística: natureza e tarefa da pintura terapêutica, v. 3. Trad. A. Dudeck. 2 ed. São Paulo: Ed. Antroposófica, 2004.

Hauschka, M. Terapia Artística - Vol III: Contribuições para uma atuação terapêutica. São Paulo: Editora Antroposófica, ano?

Hauschka, M.A terapia artística. In: Husemann, F. e O. Wolff. A imagem do homem como base da arte médica: patologia e terapêutica. Trad. U. Szajewski e H. Wilda. São Paulo: Associação Beneficente Tobias, 1992. p. 350-354.

Hauschka, M. A pintura terapêutica com pacientes de câncer. Trad. U. Szajewski e H. Wilda. São Paulo: Ampliação da Arte Médica. Associação Brasileira de Medician Antroposófica, v. 8, n. 1, p. 25-29, mar. 1988.

Heide, Paul von der. Terapia Artística – Vol. I: Introdução aos fundamentos da pintura terapêutica. Trad. L. Sobotta. 2. ed. São Paulo: Editora Antroposófica, 2003.

Hubert, M., B. van der Elst e C. Riezebos. Uma busca de um método de avaliação: pintura livre na terapia artística. Trad. parcial de N. Bos, 2006.

Kaliks, V. As forças formativas de quatro órgãos e a sua expressão na escultura: observação desses processos nas obras de escultores modernos. São Paulo: [s.n.], 2000. Apostila.

Kutzli, R. O desenvolvimento de forças criativas através do desenhar formas ativo. Trad.? Local? Editora? Ano? Apostila.

Lorenz, F. Indicações para uma terapia pela cor segundo Rudolf Steiner. Trad. F.J. Abrão. São Paulo: Ampliação da Arte Médica, Associação Brasileira de Medicina Antroposófica, São Paulo, v. 4, n. 1, p. 3-11, 1983.

Mees-Christeller, E. Terapia artística: quadros patológicos selecionados. Trad. B. Kaliks e G.S. Seltz. São Paulo:Ampliação da Arte Médica: Associação Brasileira de Medicina Antroposófica, São Paulo, v. 16, n. 2, p. 6-12, 1996.

Urben, H. Terapia artística antroposófica através das artes plásticas. Arte-terapia: transcendendo a pós-modernidade. Departamento de Arte-Terapia do Instituto Sedes Sapientiae, São Paulo, v. 5, n. 4, p. 62-65, 2000/2001.

Urben, H. A terapia artística no contexto hospitalar. Integração. Sào Paulo: Centro de Pesquisa da Universidade São Judas Tadeu, v. 7, n. 25, p. 142-144, 2001.\

Urben, H. A terapia artística e o tratamento de pacientes com câncer de mama. Arte Médica Ampliada: São Paulo: Sociedade Brasileira de Médicos Antroposóficos, v. 22, n. 1/2, p. 3-12, 2002.

Urben, H. As experiências iniciais com a linguagem das artes plásticas no contexto da saúde. Dissertação (Mestrado), São Paulo: Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, 2003.

Urben, H. A utilização de recursos da artes plásticas na medicina, na terapia artística e em outras áreas terapêuticas. São Paulo: Arte Médica Ampliada. Associação Brasileira de Medicina Antroposófica, v. 24, n.3/4, p.30-37, 2004.

 

Portuguese Dutch English French German Italian Spanish
© 2016 SAB - Sociedade Antroposófica no Brasil, desenvolvido por Contraste Studio