Publicações, artigos e vídeos

Imprimir
Criado em Quinta, 21 Fevereiro 2013 Última atualização em Sexta, 05 Maio 2017 Escrito por Valdemar W. Setzer

Há muita literatura sobre pedagogia Waldorf em português, principalmente publicada pela Editora Antroposófica e pela Federação das Escolas Waldorf no Brasil.

As indicações desta página têm a intenção de mostrar um pouco do que é a pedagogia Waldorf. Recomenda-se fortemente às pessoas interessadas que visitem uma boa escola Waldorf, ou mesmo um jardim de infância Waldorf isolado, observem o ambiente e conversem com professores, pais e, eventualmente, alunos.

O currículo Waldorf

  • Currículo de E.A.K Stockmeyer, o primeiro sistematizado sobre a pedagogia Waldorf, traduzido do livro desse autor Rudolf Steiners Lehrplan für die Waldorfschule (O currículo de Rudolf Steiner para as escolas Waldorf), 2ª edição apostilada de 1965; a primeira edição datou de 1955.
  • Descrição do currículo Waldorf do ensino fundamental, ano a ano, em inglês, como ensinado por Eugene Schwartz, com detalhes dos conteúdos de cada "época" (as matérias principais são dadas pelo professor de classe – que acompanha a classe do 1º ao 8º ano) em períodos concentrados de 3 ou 4 semanas –recomendação de Rudolf Steiner; enquanto a criança ou jovem estudam a matéria principal durante uma "época", as outras matérias são trabalhadas e amadurecidas pelo inconsciente.

Aforismos, versos e partes de textos de Rudolf Steiner sobre pedagogia

Veja essa subseção da seção de aforismos, versos e partes de textos de Steiner. Os versos e textos podem ser usados como lemas introdutórios para publicações, eventos etc. e também como citações em artigos.

Livros especialmente recomendados

  1. Rudolf Lanz. A Pedagogia Waldorf – Caminho para um Ensino mais Humano, 6ª ed., S.Paulo: Ed. Antroposófica 1998.
  2. Leonor von Osterroht. Da Manhã ao Anoitecer – jardim de infância cantando e brincando. Botucatu: Editora Diagrama, 2008. Trata-se de livro, fruto de 25 anos da autora como professora de jardim de infância Waldorf, com canções infantis, inclusive muitas alemãs traduzidas especialmente pela autora; estas últimas são especialmente recomendadas pela sua singeleza e adequação a crianças pequenas (nada de "Atirei um pau no gato-to", "O cravo brigou com a rosa" etc.). O volume contém as letras e as pautas musicais das canções e um CD com 49 delas gravadas por Débora Letícia acompanhada por Otiniel Aleixo tocando vários instrumentos, o que permite que professores de jardins de infância e pais possam aprendê-las mesmo sem conhecer notas musicais. O livro está à disposição na loja da Editora Antroposófica e também diretamente com a autora, tel. (14) 3882-3649. Cantar constantemente com crianças é parte essencial da educação Waldorf. A propósito, na contra-capa do livro lê-se: "Nota da autora: O CD com as músicas que acompanha esse livro é destinado aos educadores. Recomendamos não tocá-lo para as crianças. Nada como a criança ouvir pela voz da professora."Ouça uma das canções do volume (formato wma, 362 kB).

Resenhas de livros

  1. Resenha do capítulo "Rudolf Steiner 1861-1925" do livro 50 Grandes Educadores - de Confúcio a Dewey de Joy A. Palmer, por Valdemar W. Setzer; essa resenha contém várias informações sobre Pedagogia Waldorf, Antroposofia e Rudolf Steiner.
  2. Resenha do capítulo "Rudolf Steiner" do livro Grandes Educadores: Perfis de grandes educadores e pensadores pedagógicos de Fritz März, por V.W. Setzer.
  3. Extensa resenha do livro de Ana Lúcia Machado Clarear – a pedagogia Waldorf em debate, por V.W. Setzer.

Artigos publicados em jornais e revistas

  1. Artigo de Ana Gonzaga, "Rudolf Steiner: o defensor da sensibilidade – Aliando ensino e espiritualidade, o educador austríaco desenvolve a Pedagogia Waldorf" publicado na revista da Ed. Abril Nova Escola, ed. 228, dez. 2009, com comentários de V.W. Setzer inseridos no texto.
  2. Artigo "Sintonia com a natureza" (em pdf, 1.9 MB), publicado em 21/11/10 em AT Revista Nº 312, do jornal A Tribuna, de Santos, SP.
  3. Artigo "Promovendo educação saudável" (em pdf com 1,8 MB), publicado no jornal A Tribuna, de Santos, SP, em 8/12/10, p. A6.
  4. Original eletrônico do artigo "Pedagogia Waldorf segue na contramão" publicado em 19/7/11 pelo jornal "O Estado de São Paulo. Ver cópia local apenas com o texto, seguida de comentários de V.W.Setzer
  5. Artigo "Uma escola do Vale do Silício que não computa", tradução do artigo A Silicon Valley School That Doesn't Compute, de Matt Richtel, publicado em 23/10/11 no New York Times, sobre a Waldorf School of the Peninsula, Los Altos, California, com comentários de V.W.Setzer. O subtítulo do artigo é "O ambiente sem computadores da escola Waldorf tem atraído pais de companhias de alta tecnologia como o Google". Ouça a esse respeito a gravação da seção de Gilberto Dimenstein no programa Mais São Paulo da rádio CBN, "Escola aposta em educação sem computadores" transmitida em 25/10/11. Ver também o artigo "Metodologia waldorf: Escola investe no básico e faz sucesso entre "tecnológicos" de 2/11/11 no jornal Gazeta do Povo, de Curitiba, mencionando o artigo do NYT e com uma reportagem sobre a Escola Waldorf Turmalina. Ver ainda aúdio de entrevista com V.W. Setzer, "Para professor, computador não é essencial na educação das crianças" transmitida em 4/11/11 no Jornal da CBN. Ver, em inglês, página da emissora de TV CBS San Francisco, "Students Learn Unplugged At Los Altos School" ("Estudantes estudam desconectados na escola de Los Altos"), com artigo, vídeo e vários comentários de leitores. Ver também vídeo do programa NBC News"Calif. school picks blackboards over iPads" de 30/11/11 sobre a Waldorf School of the Peninsula, no Vale do Silício, e o fato de ela não usar computadores (esperar passar a propaganda inicial). Ver ainda vídeo do programa CBS News de 5/12/11, "Silicon Valley school: No computers in classrooms" (depois da curta propaganda inicial) e o vídeo de 13/3/12, da CNN, " Silicon Valley school with no computers" (idem) – neste último, prestar atenção nas imagens das classes, os alunos tendo aula de euritmia etc.
  6. Versões eletrônicas do artigo "Escolas Waldorf contestam resolução que exige aluno de 6 anos na 1a. série" publicado em 27/11/11 na p. A29 da edição impressa do jornal "O Estado de São Paulo", e sua continuação "Adiantar processo pode prejudicar criança" publicado na p. A30. Ver cópia local somente com os dois textos.
  7. Artigo "Pacto pela infância: alfabetizar precocemente significa empurrar a criança para o mundo adulto antes da hora", de Sueli Pecci Passerini, publicado no caderno Aliás do jornal O Estado de São Paulo em 30/9/12.
  8. Artigo, com exemplos, sobre o fato de escolas Waldorf não usarem meios eletrônicos: https://www.theguardian.com/education/2016/jun/14/steiner-schools-children-tablets-tech?CMP=share_btn_link.
    Note-se que a frase desse artigo "The schools, based on the spiritual movement of “anthroposophy”, are controversial because Steiner’s views on, for example, race have been discredited." está errada. Os pontos de vista de Rudolf Steiner jamais foram racistas. Ele afirmou -- isso já no início do século XX, onde conceitos de raça ainda eram comuns -- que a raça não tinha mais significado no mundo moderno. É interessante notar que para ele o ser humano deve desenvolver seu Eu superior. Ele afirmou que esse membro do ser humano não tinha raça, etnia, religião, nacionalidade e nem sexo. Portanto, é um absurdo considerar-se que Steiner era racista. Toda consideração racista sobre Steiner é baseada em citação de algumas de suas frases sem levar em consideração o contexto delas. 

Outros artigos

(A lista de artigos a seguir segue a ordem cronólógica de inserção neste site)
  1. Artigo "Ora (direis), Ouvir Histórias!", de Rosane Pamplona.
  2. Artigo "Contar Histórias - Uma arte dos dias de ontem para revitalizar os recursos humanos de hoje", de Alda Luba.
  3. Artigo "As Escolas dos Adultos" de Antonio Luis de Paula e Silva, Coordenador do Instituto Christophorus.
  4. Artigo "A educação pode contribuir na prevenção do consumo de drogas?" da médica antroposófica Sonia A.L. Setzer, que durante 28 anos foi médica escolar da Escola Waldorf Rudolf Seiner de São Paulo.
  5. Vários ensaios e artigos de Valdemar W. Setzer em português, espanhol, inglês e alemão inspirados na pedagogia Waldorf, tratando de problemas de uso de computadores na educação, joguinhos eletrônicos, televisão, tecnologia, considerações contra o aprendizado precoce de leitura, computadores e arte, ciência e espiritualidade etc., e um relato de um curso ("época", no jargão Waldorf) sobre a lenda de Parsifal ministrado por Sonia A.L. Setzer para um 11o ano da Escola Waldorf Rudolf Steiner de São Paulo.
  6. Texto bilíngüe (português/alemão) com um folheto editado pela União das Escolas Waldorf sobre o problema da idade de escolarização.
  7. Artigo de Anderson Paulino de Souza, sobre a questão da disciplina do ponto de vista da Pedagogia Waldorf.
  8. Relato de Anderson P. de Souza sobre uma interessante palestra que ele proferiu contra a alfabetização precoce para pais de um jardim de infância Waldorf em formação.
  9. Artigo de Sonia Ruella onde são descritos sucintamente os 3 primeiros setênios, divisão fundamental na pedagogia Waldorf segundo faixas etárias, e como o professor deve atuar em cada um.
  10. Descrição de uma iniciativa de instalar jardins de infância Waldorf no Vietnam (em inglês).
  11. Artigo de Wanda Ribeiro e Juan Pablo, pais de alunos da Escola Waldorf Rudolf Steiner de São Paulo, relatando resultado de levantamento estatístico feito com ex-alunos dessa escola, a fim de desmistificar 7 mitos correntes sobre os resultados da Pedagoia Waldorf. Versão em inglês, estendidaIdem, com gráficos, publicada pelo Waldorf Researchers and Educators Network (WREN). Versão em alemão. Ver também o artigo 13 abaixo.
  12. Texto humorístico "Você é Waldorf quando..." elaborado por participantes do GEA (Grupo de Ex-Alunos Waldorf).
  13. Artigo de Sonia Setzer "As peças natalinas de Oberufer". Essas peças são tradicionalmente representadas na época do Natal pelos professores de escolas Waldorf, para os alunos e pais, todos os anos, no mundo todo. São também representadas em outras instituições antroposóficas, como instituições para deficientes, clínicas, hospitais, fazendas biodinâmicas, etc.
  14. Artigo de Edward Miller and Joan Almon, "Crisis in the Kindergarten: why Children Need to Play in School"sobre a necessidade de crianças brincarem no jardim-de-infância, publicado pela Alliance for Childhood
  15. Artigo de Douglas Gerwin e David Mitchell, "Standing out without standing alone: profile of Waldorf School graduates", com várias tabelas com estatísticas mostrando o excelente desempenho dos formados em escolas Waldorf nos EUA. Ver também o artigo 7 acima.
  16. Artigo de V.W. Setzer "Meu filho está terminando o ensino fundamental Waldorf. E agora?". Alguns pais de alunos de escolas Waldorf planejam tirá-los dessas escolas para cursarem o ensino médio em uma escola tradicional; o artigo analisa possíveis razões para isso, mostrando a contrapartida da pedagogia Waldorf.
  17. Lista de muitos artigos de Eugene Schwartz, em inglês, descrevendo vários detalhes da pedagogia Waldorf.
  18. Interessante texto "Estratégias para o ensino de artes na escola", de Carolina Silva Oukawa, sobre sua experiência de aluna Waldorf, publicado em 29/8/10 quando ela era aluna da USP, feito para uma disciplina de sua Licenciatura em Música.
  19. Artigo "Resilience" de Christof Wiechert, publicado em Waldorf Today, mostrando que a educação adequada na infância é essencial para um adulto poder resistir a traumas e pressões.
  20. Artigo "O papel da música na Pedagogia Waldorf constatado cientificamente", de Raul Guerreiro, publicado em 27/8/12 no portal educare.pt ("O Portal da Educação"), de Portugal; ver a cópia local.
  21. Princípios da Pedagogia Waldorf, texto da Escola Waldorf Jardim das Amoras sobre o primeiro setênio da criança e o jardim de infância.

Nas páginas da Federação das Escolas Waldorf no Brasil neste site e em seu próprio site encontram-se muitos artigos sobre Pedadogia Waldorf.

Vídeos

Em português

Em inglês, com legendas em português

  • Why Waldorf? (Por que Waldorf?) produzido pela Marin Waldorf School da California, EUA, com legendas de Adriana Aquino, da Escola Waldorf Querência, de Porto Alegre, RS. 
    Nota de V.W.Setzer: do ponto de vista profissional, esse vídeo é extremamente bem feito, com lindas imagens bem ilustrativas e excelentes depoimentos de professores e pais. Infelizmente, ele caiu no padrão "video clip", com imagens muito rápidas e falas cortadas em pequenas frases. O estilo Waldorf e antroposófico, em qualquer tipo de informação, deveria ser de apelar para a consciência, e isso só é possível com um ritmo lento, apesar de, infelizmente, esse não ser o padrão costumeiro da Internet. Nesse sentido, ao vê-lo seria bom repetir certas cenas e falas de interesse, para que sejam absorvidos pelo consciente e não pelo subconsciente, e possam assim ser julgados e criticados.
  • Ensino de leitura e escrita nas escolas Waldorf, com legendas de Gustavo Exel. Para ver as legendas, acione o iconezinho em baixo e à direita da imagem com uma seta, e escolha a opção CC; segunda parte desse vídeo, no original, sem legendas em português

Em inglês

Galerias de fotos

 

Texto da Escola Waldorf Jardim das Amoras sobre o primeiro setênio da criança e o jardim de infância

Portuguese Dutch English French German Italian Spanish
© 2016 SAB - Sociedade Antroposófica no Brasil, desenvolvido por Contraste Studio